Engatar e trocar de marcha, frear, acelerar… Essas ações são triviais no trânsito, dominadas com mestria por qualquer motorista mais experiente, certo? Infelizmente, não é bem assim. Não importa há quantos anos você esteja atrás do volante, quem dirige está sempre sujeito a cometer algum tipo de erro e principalmente, na hora de colocar o pé no freio.

Particularidades do veículo

Antes de tudo, todo motorista deve conhecer alguns detalhes do seu veículo que podem influenciar o desempenho no momento da frenagem. É necessário ter sempre em mente o tamanho e o tipo de sistema de freio do veículo. Existem dois tipos de freios: o convencional e o ABS, e cada um demanda uma determinada técnica. Em uma situação de emergência, é comum que o motorista pise no pedal com força total. Diante dessa ação, os veículos com sistema ABS vão funcionar corretamente, já os com freios convencionais podem ter as rodas travadas, ocasionando a perda de controle do carro. Neste caso, deve-se fazer a frenagem de forma progressiva, aplicando e aliviando a pressão no pedal muitas vezes, sem pisar com tudo no freio. É muito fácil descobrir se o veículo está equipado com freios ABS: é só consultar o manual do proprietário ou verificar no painel do veículo. Ao dar a partida, uma luz se acenderá indicando a sigla ABS.

Dirigindo no dia a dia

A melhor técnica para uma condução segura é manter uma distância mínima de 20 metros do carro à sua frente. Assim, você terá espaço e tempo suficientes para agir em caso de imprevistos. Dias de chuva são os mais traiçoeiros. Chuvas leves, que param rapidamente, são as mais perigosas. Como a água não tem força para lavar o asfalto, a sujeira fica acumulada e deixa a pista muito escorregadia. Situações de curva também exigem atenção redobrada. A regra básica é frear somente quando as rodas estão retas. Caso contrário, o veículo poderá perder o equilíbrio. A maneira certa de proceder é diminuir a velocidade tirando o pé do acelerador assim que avistar a curva. Se necessária, pise levemente no freio, mas solte-o ao entrar na curva. Comece a acelerar gradativamente ao retomar a reta.

Descendo ou subindo a serra

Na descida, o veículo deve estar sempre engatado e nunca, de maneira nenhuma.  Em ponto morto. A velocidade você controla pelo freio, mas evite cargas bruscas para não superaquecer o sistema. Já na subida, aconselha-se manter uma velocidade constante para que o motor não perca força. Caso precise parar, use o freio de mão.

Buraco na pista

É comum as pessoas frearem bruscamente quando aparece uma cratera no asfalto. Essa medida não é recomendada. Ao passar pelo buraco, o freio não deve estar acionado. Caso contrário, uma pressão desnecessária será aplicada sobre as molas, podendo causar danos à suspensão e até o estouro de um pneu. Para evitar situações de susto como essa, a motorista deve sempre olhar à frente, antevendo o que está por vir. O bom senso ainda é o melhor método para evitar situações de risco

Comments are closed.